top of page
Buscar
  • Foto do escritorfarmerscoffeemkt

Família Kutz

Produtor(es) | Producer(s) : Sivanius Kutz, Laudivanea Kutz

Propriedade(s) | Properties: Sítio Kutz 

Endereço | Location: Alto Barra Encoberta - Alto Santa Rosa, Itarana - Espírito Santo - Brasil 

Área do sítio | Area of the farm: 10 ha 

Área Plantada | Coffee Area : 6 ha 

Altitude: 1.000 - 1.000 m 

Processamento | Processing method: Washed 

Secagem | Drying method: Terreiro suspenso coberto | Covered African beds

Variedades | Varieties: Catucaí 785 vermelho / Catucaí  2SL / Catuaí 44 amarelo 

Outros cultivos | Other farms productions: Alho e milho | Garlic and Corn 


História do sítio: 

No coração de Itarana, cercado por vales verdes e paisagens de tirar o fôlego, moram Sivanius e Laudivanea. No sítio que recebe o sobrenome da família, o casal  cuida com muito zelo de toda a produção de café, alho e milho. O dia a dia da família é o mesmo de muitas outras das Montanhas Capixabas. Ao acordar, cuidam dos animais e da casa e em seguida vão trabalhar na lavoura. Laudivanea também ama trabalhar com café. Ela cuida meticulosamente de cada planta e se dedica junto com o esposo para fazer cafés especiais. 

Ao chegar na propriedade você é recepcionado pelo casal, que em momentos que estão sozinhos ou em família e amigos, conversam em  Pomerano. Uma língua que soa como o idioma alemão e que é comum de ser escutada em Santa Maria de Jequitibá, Afonso Cláudio e Itarana. 

Em 2015 a família decidiu começar a trabalhar com cafés especiais. Naquele ano despolparam o grão e colocaram para disputar em um concurso. Ganharam. Ali, eles começaram a se interessar ainda mais pelo mundo do café e hoje colecionam prêmios. Na parede da casa da família fica estampado com muito orgulho todas as memórias desses concursos. Sivanius já até viajou para os Estados Unidos como premiação de uma competição que eles venceram. Essas conquistas incentivam a família a trabalhar ainda mais e se dedicar diariamente ao cultivo da bebida. É um dos aspectos que os impulsiona para produzir cafés ainda melhores. 


Pomeranos

Ao chegar em Itarana e Santa Maria de Jequitibá você pode observar que muitas placas e cartazes tem um distinto idioma. Caminhando pela rua e lojas também se escuta essa língua que, na primeira impressão, se assemelha muito ao Alemão mas na verdade é o Pomerano. Em 1859 chegaram os primeiros imigrantes descendentes de Pomeranos ao Espírito Santo. Eram 27 famílias de origem Luterana que partiram da Pomerânia, esta ficava entre a Europa e o Mar Báltico e trouxeram com eles muita história e cultura. 

A comunidade hoje está maior e continua mantendo com carinho muitas características da cultura. Os casamentos tradicionais, pratos típicos, músicas e a manutenção da língua que é ensinada nas escolas da região. O Espírito Santo guarda muitas riquezas e tem uma cultura tão rica e viva quanto a dos Pomeranos. 


Farm’s history:

In the heart of Itarana, Montanhas Capixabas- Espírito Santo, surrounded by green valleys and breathtaking landscapes, live Sivanius and Laudivanea. On the farm that has the family's surname, the couple takes great care of the entire production of coffee, garlic and corn. The family's daily life is the same as many others in the Montanhas do Espírito Santo. When they wake up, they take care of the animals and the house and then go to work on the field. Laudivanea also loves working with coffee. She meticulously takes care of each plant and works with her husband to make specialty coffee. 

When you arrive at the property you are greeted by the couple, who, when they are alone or with family and friends, chat in Pomerano. A language that sounds like German and is common to hear in Santa Maria de Jequitibá, Afonso Cláudio and Itarana. 

In 2015 the family decided to start working with specialty coffees. That year they pulped the grain and put it up to compete in a contest. They won. At that moment, they began to become even more interested in the world of coffee and today they collect dozens of awards. All the memories of these competitions are proudly printed on the wall of the family home. Sivanius has even traveled to the United States as a prize for a competition they won. These achievements encourage the family to work even harder and dedicate themselves daily to growing the coffee. It is one of the aspects that drives them to produce even better and better coffees.

Pomeranos

When arriving in Itarana and Santa Maria de Jequitibá you can see that many signs and posters have a different language. Walking along the street and shops you can also hear this language which, at first impression, looks very similar to German but is actually Pomeranian. In 1859, the first immigrants of Pomeranian descent arrived in Espírito Santo. There were 27 families of Lutheran origin who left Pomerania, which was located between Europe and the Baltic Sea, and brought with them a lot of history and culture.

The community is now larger and continues to maintain many characteristics of the culture with care. Traditional weddings, typical dishes, music and maintaining the language that is taught in schools in the region. Espírito Santo holds many riches and has a culture as rich and lively as that of the Pomeranians.




14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page